Estamparia do Futuro

Rodos para Serigrafia – Iniciante a Avançado

Rodos para Serigrafia – Iniciante a Avançado

Compartilhe esse post!

Na serigrafia, as funções do rodo incluem basicamente três aspectos:

  1. Transferir a tinta através tela para o substrato.
  2. Remover o excesso de tinta na tela.
  3. Manter a tela em contato com o substrato durante a impressão.

As propriedades físicas do rodo podem desempenhar um papel decisivo nas funções acima. (Por exemplo, um rodo de alta dureza pode muito bem remover o excesso de tinta, mas não serve para imprimir em substratos irregulares). Então atenção na hora de escolher o seu rodo serigráfico!

Vamos inicialmente entender o básico sobre rodos:

O rodo serigráfico é dividido em cabo, que pode ser madeira ou de alumínio e a tira, que pode ser de borracha ou de poliuretano. Dentre essas divisões ainda cabe salientar que os cabos podem ser de vários tamanhos e formatos, assim como as tiras podem ter também diferenciações. Então vamos as diferenças básicas:

 

Cabo de Madeira com tira acoplada:

Esse tipo de rodo possui vantagens e desvantagens, entra as vantagens estão o peso (ele é bem leve) e o custo de aquisição que é relativamente baixo.

As desvantagens estão na dificuldade de limpeza e sobretudo na tira que se desgasta rapidamente, deixando o rodo com característica arredondada. Neste rodo ainda você terá que definir qual a dureza (shore ou simplesmente SH) da tira que você quer usar e não é possível fazer a troca pois a tira é fixa no cabo.

As durezas disponíveis neste modelo são:

Tira de Borracha – sem dureza definida

Tira de PU – 60 shores

Tira de PU – 70 shores

Tira de PU – 80 shores

Embora você consiga encontrar no mercado rodos importados, os mais comum são rodos nacionais com tiras de poliuretano reciclado. Muitos me perguntam sobre a cor da tira, geralmente a Laranja é de 60SH, a Amarela é de 70SH e a Azul de 80SH, mas lembre-se que estas cores só são validas para tiras nacionais de um fabricante. Eu particularmente te aconselho a não se basear na cor e sim na dureza informada.

 

Cabo de Alumínio

Ao meu ver essa é a melhor opção, pois com o cabo de alumínio podemos definir qual tira utilizar, levando em conta que ao soltarmos os parafusos podemos mudar facilmente de tira. Essa facilidade também ajuda muito na hora de lavar os rodos, pois soltamos e limpamos perfeitamente sem deixar resíduos de tintas que podem contaminar outras cores, além disso o alumínio é um material extremamente durável. Os cabos de alumínio podem ter formatos e alturas diferentes. No exemplo abaixo temos o cabo ERGO da Gênesis Global:

 

Tiras

As tiras são divididas em tipo de material: borracha, poliuretano nacional reciclado e poliuretano importado.

Agora, para darmos continuidade temos que ter alguns conceitos em mente para definirmos a tira ideal. Se eu preciso de mais deposição de tinta as baixas durezas (rodos mais moles) depositam mais, se eu preciso de definição eu aposto em tiras mais duras. Como foi dito acima a dureza das tiras são medidas em shores (SH) e quanto maior o shore mais dura é o tira. 

Podemos ter também tiras de tripla dureza como pro exemplo 75H -90SH – 75SH:

 

Quanto ao formato temos tiras retangulares, duplo chanfrado, chanfrado, arredondado, etc

Aqui eu fiz um vídeo explicando o básico sobre rodos:

Ao escolher um rodo de desempenho adequado, considere os três fatores a seguir:

  1. Dureza: As tiras de uso profissional são geralmente feitas de poliuretano e a sua dureza é medida com um durômetro. A dureza, o tamanho e a forma do rodo determinam a flexibilidade, a flexibilidade e a pressão do rodo. A dureza varia de 55 a 90 graus (Shore A).

Nesse caso da foto o valor da dureza foi medido com um medidor Durometro Shore A, indicando 85 Shores.

Para medições de 55SH – 65SH podemos considerar baixa dureza, de 66SH – 75SH dureza média, mais de 75SH  é de alta dureza.

O tira de alta dureza é excelente para transferir a tinta através tela para o substrato. remover o excesso de tinta na tela e manter a tela em contato com o substrato durante a impressão. O único problema que podemos ter com rodo de alta dureza é a baixa deposição em superfícies irregulares, e com isto termos falhas de impressão.

  1. Altura efetiva da tira (a parte de PU que fica exposta no rodo): Essa altura é importante e determina o quanto o rodo se dobra com a pressão durante a impressão.

Essa dobra do rodo causa duas alterações: o ângulo entre o rodo e a tela muda e a pressão de impressão transmitida ao substrato diminui.

Se a tira é muito alta em relação ao cabo muitas vezes o operador aumenta a pressão na impressão o que pode dar excessivo ganho de ponto, ou micro-borrões na imagem impressa. O rodo ERGO da Gênesis Global possui uma das paredes mais alta o que fornece um maior sustento a tira e evita a dobra excessiva.

  1. Formato da Tira

Tira quadrada: A mais comum utilizada tanto em impressões têxteis manuais como automáticas, impressões UV e Solvente em impressoras planas. Nestas impressões aplicamos uma inclinação no rodo para que a impressão aconteça com o fio da tira de PU

Tira Duplo Chanfrada: Muito utilizada em impressões cilíndricas, onde o rodo é colocado perpendicular a tela (reto)

Tira Redonda: Embora deposite mais tinta, a tira arredondada não confere definição na estampa.

Cuidados básicos com seu rodo

  1. Ao armazenar a tira, coloque-o na horizontal e não a enrole após aberta. Enrolar a tira utilizada pode causar um abaloamento permanente.
  2. O cabo de alumínio deve ser colocada com a face para baixo. Não coloque a tira voltada para baixo.
  3. Imediatamente após a impressão ser concluída, o rodo deve ser limpo. Não deixe pra depois porque os solventes das tintas (UV e solvente) ou o amaciante do plastisol podem danificar sua tira. No caso de tintas base de água também lave o rodo assim que terminar para que a tinta não segue na tira.
  4. Não mergulhe a tira no solvente. Embora a tira seja resistente a solventes, ela pode se tornar quebradiço devido à absorção do solvente.
  5. Para manter sua qualidade de impressão, é necessário afiar o rodo sempre que ele começar a arredondar. Se sua tira for de PU importada é possível afiar utilizando afiadores próprios para rodo ou em último caso lixar com uma lixa 150 para ferro.

Aqui tem um vídeo de jabá (rsrsrs) que fiz para a Gênesis Global e que apresento no intervalo da LIVE Terça de Sucesso

Gostou deste conteúdo? Então inscreva-se aqui no meu site para ser notificado sempre que eu publicar um novo conteúdo de valor pra você, e aproveite para comentar, sugerir novos temas e enviar suas dúvidas!

Compartilhe esse post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

shares